Problemas na pandemia: Manifesto do Sinteps reforça cobranças e pede nova reunião

O Conselho Diretor do Sinteps (Diretores de Base, Regionais e da Executiva), reunido em 18/6/2020, aprovou a divulgação de um manifesto, dirigido à Superintendência do Centro Paula Souza (Ceeteps) para expor o que segue.


Os trabalhadores do Ceeteps – responsáveis pela reconhecida qualidade das cerca de 300 unidades, entre ETECs e FATECs, espalhadas por todo o estado de São Paulo – estão fazendo o máximo para que a instituição, seus estudantes e a sociedade de um modo geral atravessem esse difícil período da pandemia de Covid-19 da melhor forma possível. Cada um em suas atribuições – em teletrabalho, ministrando aulas remotamente ou nos serviços essenciais–tem atuado com seriedade e dedicação, mas, infelizmente, em meio a muitos problemas e dificuldades que poderiam ser minimizados pela instituição.


Desde que tiveram início as medidas de isolamento social, com a consequente suspensão das atividades presenciais nas unidades, o Sinteps vem acompanhando de perto as condições de trabalho da categoria, por meio de muitos relatos e dúvidas recebidos por e-mails e nas redes sociais da entidade. A solução dos problemas foi sistematicamente cobrada da Superintendência do Centro e da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, em ofícios e contatos telefônicos. Alguns foram solucionados, como é o caso da definição das regras para a realização dos serviços essenciais nas unidades, mas muitos ainda persistem, especialmente os relacionados ao ensino remoto. Além disso, não bastassem as angústias que a pandemia causa, os trabalhadores do Centro ainda vivem a ameaça constante de cortes de direitos e de benefícios.


No dia 4/6/2020, finalmente o Sinteps foi atendido pela Superintendência em reunião virtual, quando todas as questões foram recolocadas. Embora tenha se comprometido com várias iniciativas, a direção do Centro pouco fez até este momento.


Por meio deste MANIFESTO, queremos expor à Superintendência, novamente, um resumo destas questões e solicitar, para o mais breve possível, o agendamento de negociação com o Sinteps. Para dar concretude às cobranças, o manifesto reproduz alguns depoimentos de trabalhadores recebidos pela entidade, que ilustram o difícil momento que todos estamos passando, mas que poderiam ser minimizados.

 

Clique para conferir os itens cobrados no Manifesto