Seminário dá a largada na campanha pela(re)democratização do Centro

 23/5/2012

Na tarde do dia 22 de maio, o auditório do Sinteps ficou repleto para a realização do debateDemocratizar o Centro - Uma tarefa da comunidade.

Estavam presentes à  mesa João Zanetic, professor da USP e diretor da Associação dos Docentes da USP (Adusp), e Silvia Elena de Lima, professora do Ceeteps e diretora do nosso Sindicato.

src=http://www.sinteps.org.br/news0392_clip_image002.jpg

O professor Zanetic destacou a importância da luta pela democratização das estruturas de poder não só no Centro, mas também nas universidades estaduais paulistas. Citando a USP como exemplo, ele relatou que a escolha de reitor envolve um número minúsculo de pessoas, em sua maioria professores titulares, e que a decisão final cabe ao governador, a partir de uma lista tríplice. Trata-se de uma estrutura de poder arcaica e que concentra a decisão nas mãos de uma casta, criticou. Ele enfatizou que a falta de democracia estende-se em vários aspectos da vida da universidade. Na USP, temos dezenas de estudantes e funcionários sendo processados pela reitoria por haverem participado de lutas em defesa da universidade. Os processos baseiam-se em regimentos que vigoram desde os tempos da ditadura militar, prosseguiu.

Zanetic disse que o Fórum das Seis - que engloba os sindicatos e entidades estudantis das USP, Unesp, Unicamp e Ceeteps - tem na democratização uma bandeira histórica. A luta de vocês, aqui no Centro, é mais atual do que nunca.

A companheira Silvia disse que o primeiro passo da campanha pela (re)democratização do Centro foi a entrega de um ofício ao Conselho Deliberativo (CD) do Ceeteps, em março. Como o mandato da professora Laura Laganá conclui-se este ano (sem direito à  recondução, por ser o segundo), cabe ao CD determinar como será o processo sucessório. Se depender das regras atuais, teremos a meia dúzia de componentes do CD fechando uma lista tríplice e a encaminhando para a canetada final do governador, ironizou Silvia. Lembrando que já houve uma época, no início dos anos 90, em que a pressão da comunidade conquistou eleições diretas para superintendente, a palestrante foi categórica: A hora é agora. A comunidade tem que encampar essa luta e exigir eleições diretas e paritárias, com igual peso para os três segmentos envolvidos, ou seja, professores, funcionários e estudantes. Chega de meia dúzia de iluminados decidirem em nome de 200 mil pessoas, total estimado da nossa comunidade atualmente.

Silvia também falou sobre a importância da manutenção do vínculo entre Centro Paula Souza e Unesp, que vive permanentemente na mira dos governos tucanos.

Nesta quarta-feira, 23 de maio, ela também participa de um debate sobre a democratização do Centro e o vínculo na FATEC de Jaú, a convite da comunidade daquela unidade. Se você deseja que o debate ocorra também em sua unidade, escreva para o Sinteps pelo e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..

Acompanhe a cobertura mais aprofundada do debate, em boletim do Sinteps.

O debate do dia 22/5 teve transmissão ao vivo pela Internet e, em breve, a gravação será disponibilizada.