Sinteps indica adesão à nova greve geral, em 30/6: Nenhum direito a menos, “Fora, Temer! Diretas, já!”

Na reunião da direção do Sinteps – Diretores de Base, Regionais e Executivos – realizada em 7/6, um dos pontos centrais do debate foi a convocação de uma nova greve geral no país.


A reunião também discutiu os desdobramentos da campanha salarial de 2017 e a organização do VIII Congresso da categoria.


O chamamento à uma nova greve geral para 30 de junho foi aprovado em reunião das Centrais Sindicais em 5/6.     


A nova greve geral é mais uma importante – e decisiva – etapa na luta contra as reformas que confiscam direitos da população trabalhadora. Diante do agravamento da crise política e econômica, somam-se à luta contra as reformas previdenciária e trabalhista e a terceirização duas palavras de ordem fundamentais: “Fora, Temer” e “Diretas, já”. É preciso que o povo tenha o direito de decidir democraticamente os destinos que quer dar à crise, sem arranjos golpistas, como a eleição indireta por um Congresso recheado de corruptos e inimigos dos trabalhadores.


Na esteira das fortes mobilizações deste ano – as manifestações de 15 e 30 de março, a greve geral que parou 40 milhões de trabalhadores em 28 de abril e a marcha de 150 mil pessoas em Brasília no dia 24 de maio – a expectativa das Centrais é realizar um movimento ainda maior.


Na preparação para a nova greve geral, está marcado para o próximo dia 20 o “Esquenta greve geral”, com atos e panfletagens em todo o país.


A expectativa diante do agravamento da crise no governo do ilegítimo Michel Temer (PMDB) é de que o movimento supere a greve geral de 28 de abril, avalia o secretário-geral da CUT, Sérgio Nobre. “A mobilização dos trabalhadores definirá o rumo do país, se Temer fica e se, caindo, teremos escolha democrática com participação do povo”, sinalizou.


Mais detalhes sobre a organização da greve geral, como locais e horários das atividades previstas, serão divulgados em breve no site do Sindicato.

 

Leia a seguir a nota das Centrais Sindicais convocando a nova greve geral:

 

Unidade e luta em defesa dos direitos

 

As Centrais Sindicais, (CUT, UGT, Força Sindical, CTB, Nova Central, CGTB, CSP-Conlutas, Intersindical, CSB e A Pública-Central do Servidor) convocam todas as suas bases para o calendário de luta e indicam uma nova GREVE GERAL dia 30 de junho.


As Centrais Sindicais irão colocar força total na mobilização da greve em defesa dos direitos sociais e trabalhistas, contra as reformas trabalhista e previdenciária, contra a terceirização indiscriminada e pelo #ForaTemer.


Dentro do calendário de luta, as Centrais também convocam para o dia 20 de junho o “Esquenta Greve Geral”, um dia de mobilização nacional pela convocação da greve geral.


Ficou definida também a produção de jornal unificado para a ampla mobilização da sociedade.

 

Agenda

- 06 a 23 de junho: Convocação de plenárias, assembleias e reuniões, em todo o Brasil, para a construção da GREVE GERAL.

- Dia 20 de junho: “Esquenta greve geral”, com atos e panfletagens das centrais sindicais;

- 30 de junho: GREVE GERAL.

 

CGTB – Central Geral dos Trabalhadores do Brasil
CSB – Central dos Sindicatos Brasileiros
CSP Conlutas – Central Sindical e Popular
CTB – Central dos Trabalhadores e das Trabalhadoras do Brasil
CUT – Central Única dos Trabalhares
Força Sindical
Intersindical – Central da Classe Trabalhadora
NCST – Nova Central Sindical de Trabalhadores
Pública - Central do Servidor
UGT – União Geral dos Trabalhadores