O Bônus Resultado e o bode na sala.

...ou... como espezinhar uma categoria de educadores

2/4/2012

Diz a história que, quando você quer desviar a atenção de um assunto espinhoso, coloca um bode na sala. Quando ele sai, o alívio é tanto que todos se alegram e esquecem do real problema.

Pois bem, o Bônus Resultado é o atual BODE NA SALA!

Todos os anos é a mesma coisa: ninguém sabe se vai receber ou não, ficamos desde janeiro - quando o 13º salário já acabou faz tempo - perguntando se o bônus vai sair, quando vai sair, qual valor vai ter... e nenhuma resposta concreta do governo aparece. Um grande mistério rodeia o pagamento do Bônus Resultado!

Aí, na véspera do pagamento, quando mais ninguém acredita que o governo vai pagar, surge um comunicado dizendo que o pagamento será realizado.

Grande alívio geral! Saiu o bode da sala!

Aí, no dia do pagamento, muitos percebem que NADA RECEBERAM e, para estes, o BODE CONTINUA NA SALA. Estes percebem, porque sentem no bolso, o grande engodo que é o tal BÔNUS RESULTADO!

Pela política da meritocracia - instituída pelo PSDB no estado de São Paulo em 2000 - só recebe benefícios quem tem mérito. Ou seja, ao mesmo tempo, cria-se a categoria dos que não têm mérito.

Isto não acontece somente com o bônus, mas também está presente no processo de evolução funcional, onde estar em sala de aula, ensinar e dedicar-se à  docência não estabelece pontuação suficiente para evoluir na carreira docente!

Idem para os auxiliares docentes e para o pessoal administrativo, que dá duro para manter em ordem as milhares de documentações exigidas, que são deslocados de função para melhor atender as unidades etc etc.

O trabalhador deve fazer um cálculo: pegue seu bônus e divida por treze (doze salários e um décimo terceiro). No final, vai perceber que era melhor ter um salário digno, que lhe garantisse o sustento da sua família; que era melhor não acumular tantas dívidas para quitar com o bônus; que era melhor ser respeitado diariamente, ao invés de iludido com uma bonificação que pode receber este ano, mas não é garantida para o ano que vem.

Trabalhadores com bônus: paguem suas contas, se o valor recebido for suficiente, e preparem-se para a greve, pois o arrocho salarial vai continuar pesando no bolso de todos.

Trabalhadores sem bônus, ampliem sua indignação e preparem-se para a greve.

TODOS JUNTOS, VAMOS COLOCAR O BODE NA SALA DO GOVERNO!

Boca no trombone

Veja, a seguir, trechos de alguns depoimentos recebidos pelo Sinteps no dia 30 de março:

G ostaria que, quando vocês estiverem com o secretário de Estado, pleiteassem que eles revissem as metas das escolas, pois várias das que não tiveram Bônus estavam com metas superiores à s escolas com mais tempo de vida. (...) Gostaríamos de saber quais são os critérios que os estão levando a estabelecerem índices tão altos e, o pior, só ficamos sabendo da nossa meta nessa quinta-feira. Acredito que, em nenhum lugar do mundo, uma empresa dá uma meta para um funcionário somente depois que passou o prazo para esse funcionário atingir essa meta.

(E-mail enviado por um docente de ETEC)

É com muito pesar que escrevo essas poucas palavras sobre os processos a que somos submetidos. Mas é também com vergonha, porque não é possível que o governo do maior e mais rico estado brasileiro, que cria condições de ensino para desempregados (PEQ, Via Rápida e afins), e uma Instituição tida como a maior da América Latina em Ensino Técnico e Tecnológico, não valorizam seu profissionais, desmotivando seus professores e jogando uns contra os outros. (...) É justo que uns recebam seus Bônus Mérito e outros recebam seu Bônus Demérito? Isso é a política adotada pelo governo do Estado de São Paulo e pelo Centro Paula Souza para fomentar a educação em ETECs e FATECs (...). NÃO PODEMOS SER PENALIZADOS POR ABRAÇARMOS TODAS AS CAUSAS E PROGRAMAS DO GOVERNO DO ESTADO E DO CENTRO PAULA SOUZA.

(...) Deixo aqui o meu mais profundo protesto a respeito dessa metodologia de trabalho baseada na meritocracia para alguns e punição para outros. Se recebêssemos um salário digno de nossas funções e atividades, nada disso estaria acontecendo.

(...) Somos como alunos que assistiram a TODAS as aulas e realizaram TODAS as suas atividades (e muito bem!), e no CONSELHO FINAL, tiramos0,00.

(E-mail enviado por um diretor de ETEC)