Maioria dos trabalhadores opta por não aderir à  paralisação nacional da CNTE e decide aguardar a reunião do dia 2/4 antes de definir a mobilização

12/3/2012  

A maioria dos trabalhadores que participaram das assembleias convocadas para discutir a participação da categoria na paralisação convocada pela Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE), para os dias 14 a 16 de março, optou pela não adesão.

A paralisação foi convocada com o objetivo de pressionar o governo a implantar a Lei do Piso (que obriga os estados a garantirem 1/3 da jornada fora da sala de aula), a CNTE está convocando uma paralisação nacional de três dias, entre 14 e 16 de março.

Com isso, o resultado das assembleias realizadas aponta para um período de expectativas da categoria em relação à  negociação marcada entre Sinteps, Superintendência e Secretaria de Desenvolvimento, para o dia 2/4. Nesta reunião, vamos discutir o andamento do novo plano de carreira e o reajuste da data-base 2012, bem como as demais reivindicações econômicas e específicas.

Mobilização

Reunida no dia 29 de fevereiro, a direção do Sinteps (CDB, diretores regionais e executivos) aprovou um calendário de mobilização e organização da categoria para a data-base 2012, com a produção de vários materiais agitativos (cartazes, folhetos, adesivos).

A intenção é aguardar o posicionamento do governo na reunião do dia 2/4. Em caso insatisfatório, vamos à  luta.

Corrente do bem em ação

A mobilização já recomeçou. Assim como aconteceu no ano passado, a colaboração de servidores e professores de base, especialmente nas unidades em que não há representantes do Sinteps, será valiosa.

Fique de olho à s informações e convocações.