9/11/2011

O Sindicato dos Trabalhadores do Centro Paula Souza (Sinteps) manifesta seu veemente repúdio contra a ação policial em curso na Universidade de São Paulo (USP). A autorização da reitoria daquela universidade para a presença ostensiva da PM no campus desencadeou uma crise que já era anunciada.

Assim, os fatos que culminaram com as ações estudantis a partir dia 27/10 eram esperados. A violenta operação de guerra montada pela PM do governo Alckmin para retirar os estudantes que ocupavam o prédio da reitoria foi grotesca: 400 policiais, armados até os dentes, bombas de gás, dezenas de viaturas e até helicópteros.

O Sinteps conclama a direção da USP a fazer cessar a repressão policial, retirar a PM do campus e negociar seriamente com as entidades representativas de estudantes, professores e funcionários um plano de segurança para o campus, a partir de um efetivo próprio, treinado para defender a segurança da comunidade e não para reprimi-la.

O Sinteps também manifesta seu repúdio à  criminalização dos movimentos sociais na USP, onde há vários processos abertos contra trabalhadores e estudantes, e em todo o país.

 

São Paulo, 9 de novembro de 2011.

Sinteps