Protestos contra a reforma da Previdência: Adesão expressiva nas ETECs e FATECs sinaliza insatisfação e disposição de luta

O chamado do Sinteps à adesão ao “Dia nacional de lutas, com greves e paralisações contra a Reforma da Previdência”, neste 15 de março, teve expressiva repercussão nas ETECs e FATECs.

Cerca de 50 unidades aprovaram paralisação neste dia e dezenas de outras definiram promover iniciativas na unidade ou participar de atividades conjuntas com outras categorias no município.

A decisão por integrar o dia de luta foi tomada em reunião do Conselho de Diretores de Base (CDB) do Sinteps no dia 20/2, por considerar que, além das nossas lutas específicas, também temos que engrossar a mobilização da população trabalhadora, contra os ataques que sopram de Brasília, como a reforma da Previdência, a mutilação dos direitos previstos na CLT, entre outros. Na esteira destes ataques, o governo ilegítimo de Michel Temer já conseguiu concretizar algumas medidas danosas, como a aprovação da PEC 55, que congela por 20 anos os recursos para a saúde e a educação, e da MP 746, que institui a reforma do ensino médio sem nenhum debate com a sociedade.

Em todo o país, milhões de trabalhadores cruzaram os braços e saíram às ruas no dia 15/3. Grandes atos foram realizados nas capitais e principais cidades do interior dos estados. Em São Paulo, o ato da capital levou cerca de 300 mil pessoas à Avenida Paulista. As fotos que ilustram esta matéria mostram algumas imagens da participação do pessoal das ETECs e FATECs em atos em várias cidades.

A luta contra as reformas está só começando. O grande sucesso do dia 15 precisa ter continuidade em novas jornadas nacionais de mobilização, tendo como meta a realização da greve geral no país. Se a população não gritar agora, terá que engolir a perda de boa parte dos direitos sociais e trabalhistas conquistados a duras penas no século passado. Que futuro teremos nós, trabalhadores? Que futuro reservaremos às novas gerações? A hora de lutar é agora!

 

Como fica o dia parado?

O Sinteps já solicitou à Superintendência o efetivo exercício para todos os trabalhadores que aderiram à paralisação, com um procedimento uniforme com relação à reposição das aulas e horas. Atenção: se for chamado a preencher qualquer documento de justificativa de falta, o ideal é não fazê-lo e aguardar instruções gerais. Caso não seja possível deixar de preencher tal documento, coloque apenas que a razão da falta é "paralisação convocada pelo Sindicato". Tão logo haja definições sobre isso, o Sinteps divulgará amplamente.

 

E a nossa campanha salarial?

A boa participação da nossa categoria no dia 15 não só ajudou a fortalecer a mobilização nacional contra as reformas, mas também colocou brasa na nossa campanha salarial. Nas reuniões que os diretores do Sinteps estão realizando nas unidades, fica claro o enorme descontentamento dos trabalhadores do Centro. E não é para menos! Estamos há três anos sem reajuste (queremos 32,34% para repor estas perdas), os salários dos administrativos são aviltantes, nossos benefícios são ínfimos. Não por coincidência, nestes três anos nossa categoria não conseguiu reagir à altura. E como será em 2017?

 

Calendário de lutas rumo à greve da categoria. Todos às assembleias setoriais

Passadas as duas primeiras datas importantes no calendário de mobilização – 8 e 15 de março – as próximas etapas são:

 

De 20 a 30 de março:  Realização de assembleias setoriais, nas unidades, para discutir o indicativo de GREVE GERAL DA CATEGORIA POR PRAZO INDETERMINADO a partir de 4 de abril, caso o governo não dê respostas satisfatórias à nossa pauta até o final de março.

Baixe aqui o Modelo de ata/lista de presença.

 

De 20 a 23 de março:  Distribuição de carta aberta à comunidade e coleta de abaixo-assinado em defesa das nossas reivindicações (ambos os materiais estão no site, em “Data-base 2017”. Após colhido o abaixo-assinado, digitalizar e enviar para Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.).

Neste período, o Sinteps também indica a redução da jornada de trabalho em 10 minutos, em cada turno de trabalho. Esses minutos devem ser usados para discussão entre os trabalhadores e realização de atividades, como a panfletagem com a carta aberta junto a alunos e pais; o envio de e-mails ao governador Geraldo Alckmin; ao secretário de Desenvolvimento, Ciência e Tecnologia, Márcio França; ao secretário de Gestão Pública, Marcos Monteiro; e à superintendente do Ceeteps, Laura Laganá.

 

Proposta de texto de e-mail (adapte o destinatário):

 

Prezado Sr./Sra./ xxxxxxxxxxxxxxxxxxx,

Nós, trabalhadores do Centro Paula Souza, pedimos a Vossa Senhoria que avalie com atenção a nossa Pauta de Reivindicações neste ano, já protocolada pelo sindicato que nos representa, o Sinteps. Pedimos a sua sensibilidade para a justeza do nosso pleito, especialmente para:

  1. A concessão de reajuste salarial de 32,34% (lembrando que os salários estão sem reajuste há três anos, num cenário de inflação crescente);
  2. Equiparação dos pisos dos administrativos, no mínimo, aos valores previstos na Lei 1.080, que rege o conjunto do funcionalismo;
  3. A equiparação dos pisos dos administrativos ao pessoal da UNESP, visto que o CEETEPS é uma autarquia de regime especial associada e vinculada à UNESP (conforme Lei 952/1976) e os salários no CEETEPS estão muito aquém daquela universidade e do mercado;
  4. Enquadramento por titulação (já realizado em julho de 2016 para os professores) para todos os trabalhadores da autarquia;
  5. A imediata implantação do plano de saúde institucional aprovado na carreira implantada em 2014;
  6.  A imediata implantação do auxílio alimentação para todos os trabalhadores da autarquia.
  7. Implantação do regime de jornada para os professores;
  8. Revisão da carreira implantada em 2014, nos itens apontados na Pauta de Reivindicações 2017, já protocolada;

Certos da sensibilidade dos administradores do Ceeteps e do governo do estado, conscientes do nosso papel para a garantia da qualidade dos serviços prestados pela instituição ao povo paulista, agradecemos pela atenção.

 

Envie para:

Laura Laganá: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Marcos Monteiro: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Márcio França: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Geraldo Alckmin: Entre em http://www.saopaulo.sp.gov.br/fale-conosco/ e poste a mensagem.

 

24 de março:  Ida às Câmaras de Vereadores para solicitar moção de apoio às reivindicações da categoria, a ser encaminhada ao governador, ao secretário de Desenvolvimento, Ciência e Tecnologia e à Superintendência do Ceeteps.


Baixe aqui a proposta de texto para a moção, digitalize e envie para os endereços acima e, também, para Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

 

Veja a galeria de imagens das manifestações na capital e interior. 

Manifestação 15M
Manifestação 15M
Manifestação 15M
Manifestação 15M
Manifestação 15M
Manifestação 15M
Manifestação 15M
Manifestação 15M
Manifestação 15M
Manifestação 15M
Manifestação 15M
16
17